quinta-feira, 19 de março de 2009

Grupos e Organizações

O grupo, composto apenas de algumas pessoas em interação, é a unidade básica das organizações humanas. Mas como as dimensões sociais têm aumentado, os grupos são constituídos a fim de formar organizações mais complexas – tais como empresas, organizações burocráticas e escritórios. Muito de nossa vida diária é gasto em grupos; de fato, tente imaginar qualquer hora em que você não esteja em um grupo ou pensando em pessoas. É essa inserção de grupos em estruturas maiores e mais abrangentes que possibilita aos homens a construção de sociedades complexas e elaboradas.


1. Comportamentos e interações ocorrem dentro de uma estrutura social, ou redes organizadas de status, normas e papeis sociais.


2. O tipo mais elementar de estrutura social é o grupo que, dependendo de seu tamanho, pode classificar-se como primário ou secundário. Os grupos primários são mais íntimos e coesos, envolvendo mais conformidade às normas, do que os grupos secundários.


3. Os grupos têm poder sobre as pessoas, reprimindo e limitando as auto-imagens, os valores e crenças, as emoções, as motivações e o estilo de representação de seus integrantes.


4. Os grupos são estruturas altamente dinâmicas, que revelam um número de processos básicos:


a) liderança e o aparecimento de líderes de tarefa e socioemocionais;

b) tomadas de decisões e desenvolvimento de consenso e “groupthink”;


c) coesão e solidariedade quando estes surgem de altos níveis de interação, experiências semelhantes dos membros e fontes externas de ameaça;


d) expectativas ou parâmetros de características “difusas” ou desempenhos passados para antecipar o que os indivíduos devem fazer em grupo;


e) grupos de referência como parâmetros para orientar os pensamentos e reações em uma situação específica.


5. Quando a sociedade se torna maior e as tarefas mais complexas, os grupos são unidos para formarem organizações que revelam papéis sociais formais, uma clara divisão de trabalho, hierarquias de autoridade, controle de emoções, competência técnica dos encarregados, controle organizacional dos cargos e planos de carreira rumo à hierarquia.


6. Há vários tipos de organizações:


a) organizações voluntárias, em que as pessoas livremente reúnem certos objetivos e interesses;


b) organizações coercitivas, em que os indivíduos são forçados a permanecer separados do resto da população;


c) organizações utilitárias, em que os membros racionalmente calculam os custos e os benefícios de sua participação.


7. Uma dinâmica importante das organizações é “ecológica”: as organizações existem em um ambiente de recursos e devem geralmente competir com outras organizações pelos recursos que levam a padrões de crescimento e declínio nos diferentes tipos de organizações da sociedade.


8. Outro conjunto de dinâmica é interno, girando em torno de uma série de processos:


a) desenvolvimento de relações informais dentro da hierarquia formal;


b) a origem de conflito na distribuição de autoridade;


c) natureza dos serviços quando estes refletem as tecnologias e produtos fabricados;


d) controle e autoridade que giram em torno de padrões de supervisão externa e compromissos do trabalhador;


e) processos culturais nos quais os valores, crenças e normas criam uma “ética” específica sobre como o trabalho deve ser feito;


f) “ritual” ou desempenho do trabalho sem consideração dos objetivos de uma organização;


g) a alienação decorrentes dos serviços chatos e rotineiros;


9. A natureza da organização tem, nas últimas décadas, mudado enormemente sob o impacto da tecnologia e competição econômica mundial, levando à queda dos empregos de produção e ao aumento dos empregados na área de vendas e de prestação de serviços.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário

Blog Widget by LinkWithin