terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

SOCIOLOGIA: CIÊNCIA DA SOCIEDADE

A sociologia está na mente das pessoas. Todo indivíduo, é “sociólogo” espontâneo, no sentido de possuir muitas explicações sobre o comportamento humano em sociedade. São as “teorias” do senso comum também denominadas conhecimento vulgar. Tais explicações, não são científicas, contudo, interessam aos sociólogos porque são parte da sociedade. Entretanto, não são confiáveis – absolutamente- porque as explicações do senso comum sobre os fatos da sociedade constituem mais freqüentemente puro instrumento de defesa de interesses de alguma categoria social. Por ex.: a posição social da mulher, do negro, do índio, etc.

A questão que nos interessa neste momento do estudo é: A sociologia é uma Ciência? É óbvio que a reflexão sobre os fenômenos sociais não começou com a Sociologia, no século XIX. Há séculos os filósofos já se ocupavam da explicação dos fenômenos sociais. Entretanto, a reflexão filosófica a respeito da sociedade difere da Sociologia tanto nos resultados quanto, principalmente, na maneira de alcançá-los. Ao contrário das explicações filosóficas, as explicações sociológicas não partem simplesmente da especulação de gabinete, baseada na observação casual de alguns fatos. A filosofia social estabelece o que é bom e o que é mau para a sociedade e para o homem, enquanto a Sociologia, não emite juízos de valor.

Mas, o que caracteriza realmente a Sociologia como uma ciência? Em primeiro lugar, a ciência se expressa como um sistema de conceitos, proposições e teorias. Como sistema articulado com suas propostas e definições e não um mero conjunto de idéias desalienadas. Outra característica está nos seus objetivos. A ciência tem como fim principal explicar a realidade com base na observação sistemática dos fatos. A sociologia pode se transformar em instrumento de intervenção social, como, por ex.: através do planejamento social. No método, está a característica mais importante da ciência. Aqui a Sociologia se distingue das formas não científicas de explicação da sociedade pelos meios de alcançar suas generalizações. Em outras palavras, a Sociologia é uma ciência predominantemente indutiva, isto é, parte da observação sistemática de casos particulares para daí chegar à formulação de generalizações sobre a vida social. Já a Filosofia Social é dedutiva.

Outra característica da Sociologia é a neutralidade valorativa. A Ética cumpre definir o justo e o injusto nas ações humanas; o Direito fundamenta-se no que é legítimo do ponto de vista jurídico nas relações humanas; a Lógica estabelece as normas para bem pensar e atingir a verdade. Já a Sociologia não é valorativa e nem normativa. A Sociologia estuda os valores e as normas que existem de fato na sociedade e tenta identificar a classificar as relações entre esses componentes da sociedade. A transitoriedade é outra característica do conhecimento científico. Um sistema filosófico pode se manter inalterado durante séculos, o que não acontecerá com as ciências. A ciência da Sociologia depende das observações dos fatos que são transitórios diante da história da humanidade; também podem mudar os conceitos durante a melhora dos métodos de observação. A ciência não é cristaliza. Ela é, sobretudo, um processo de pesquisa contínua e de ininterrupta reformulação de teorias. Todavia, a Sociologia não estuda todos os fatos da sociedade; estuda aqueles que apresentam alguma regularidade no seu modo de ser, isto é, generalizações padronizadas na vida social. Uma generalização somente pode ser considerada cientificamente quando é universalmente válida. Por ex.: a união de uma nação contra a tentativa de invasão de outra.

Contudo, nem todas as discussões que existem são objeto de estudo dos sociólogos. Isto porque os métodos científicos não permitem responder questões de importância social, tais como: Qual é o sentido da existência dos seres vivos? Qual é o sentido do universo? Assim sendo, se vê, que não existe incompatibilidade entre o saber científico e a Filosofia ou Religião, pelo simples fato de que estas últimas se ocupam de problemas que estão fora do âmbito da ciência.

A sociedade também é estudada pela Antropologia, pela Economia e pela Psicologia. Além das suas aplicações no planejamento social, na pesquisa e na orientação das relações sociais, o conhecimento sociológico também funciona como uma disciplina humanística, ou seja, não é apenas um conhecimento transformado em técnicas e teorias, mas também um meio de possível aperfeiçoamento do espírito, na medida em que pode ajudar as pessoas a compreenderem melhor o seu comportamento social, dos outros e dos grupos. Assim sendo, é uma forma significativa de consciência coletiva.

É bem verdade que a Sociologia nasceu como tentativa de buscar soluções racionais, científicas, de acordo com a pretensão de Auguste Comte (França / 1798-1857), para os problemas sociais resultantes da Revolução Industrial e de decomposição da ordem social aristocrática na França do início do século XIX. Entretanto, há uma diferença entre problemas sociais e problemas sociológicos. Os problemas sociais são fatos passíveis de observação sistemática e generalizada, portanto, de explicação científica. Já os problemas sociológicos são fatos de explicação teórica e não universal do que acontece na vida social. Por ex.: carnaval e futebol.

Outra confusão se dá entre a ciência da Sociologia e Doutrina Social. A ciência é uma explicação de algum fenômeno com base na observação direta dos fatos que a confirmam. Quanto às doutrinas, estas não se baseiam na observação dos fatos, mas em idéias sobre como a realidade possa ser, ou principalmente, como a realidade deve ser. Ex.: ter filhos após o casamento.

A vontade de mudança de alguns sociólogos (anos 60) levou alguns a fazer distinção entre “Sociologia radical” e “Sociologia conservadora”. A primeira seria comprometida com os interesses das categorias subalternas da sociedade capitalista, enquanto a segunda é um instrumento de defesa dos interesses da burguesia.

Em outras palavras, a verdadeira Sociologia pode incomodar as categorias cujos interesses sejam afetados pela revelação das relações sociais que estejam na origem dos problemas sociais. Mas para que isso aconteça é necessário que o sociólogo faça ciência e não doutrinação política rotulada de “Sociologia”.


Fonte:http://www.professormauro.fema.com.br/comun/arquivos/sociologia_ciencia_da_sociedade.doc

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário

Blog Widget by LinkWithin